CoisasdaMãeEmpoderada: Baú de Referências

Tem quem não goste da palavra empoderamento. As coisas chegam a você numa onda que nasce das suas buscas, das suas necessidades, dos entendimentos adquiridos, e (por que não acreditar nisso?) por permissões além de nossa compreensão. Ampliação de bagagem, repertório e compreensão são conquistas. As coisas chegam, você absorve, aprende e modifica seus conceitos e paradigmas. Cresce. Não saber é se acomodar, estagnar. Eu quero saber mais, saber além. Eu, por mim, pela minha filha, pelos meus, quero me empoderar cada vez mais. E saber mais é poder.

Por tudo isso, a gente fica com o dedo e a língua coçando para compartilhar as descobertas e aprendizados. E comete alguns erros. Eu pelo menos sou assim. Indicar os livros (ou  filmes, documentários, sites, fan pages) ao outro as vezes pode ser absolutamente impertinente, porque por mais que VOCÊ ache que o outro DEVA acessar essa informação TAMBÉM, na maioria das vezes não é a hora, não há entendimento nem interesse desse outro para a tal publicação, pelos mais variados motivos e razões. Maaaaas, por ter lhe feito tão bem e ter lhe aberto tantas novas perspectivas, você tem certeza (SóQueNão) que fará o mesmo bem ao outro também. E você o faz, teimosamente, rsrsr. Eu vou fazer.

Recentemente fiz uma listagem das fontes online que andam modificando os meus olhares (principalmente novos olhares para com o feminino) para compartilhar com uma amiga querida. Com certeza Júlia foi fator crucial para isso. Ter uma filha me despertou para a necessidade de cobrar do mundo mais justiça, igualdade e respeito para com as mulheres. E tem sido um longo e muitas vezes dolorido caminho percorrido tomar consciência real do quanto na verdade o mundo é injusto, desigual e despeitoso.

Aí pensei, por que não colocar tudo numa postagem só para não perder essas fontes todas, e ir atualizando vez em quando? Então vai lá, despretensiosamente e sem querer doutrinar ninguém, valeu? Tá aqui, a quem possa interessar, nesse mundo virtual sem porteira. Todas as informações acessadas e listadas aqui foram e estão sendo muito transformadoras PARA MIM. E um dia quero falar disso tudo para a Júlia. Por isso está aqui no blog CoisaSódeMãe.

Três livros fantásticos para entender a trajetória histórica do embate masculino-feminino e porque as coisas são como são hoje

Em setembro, mês de florescimentos mil, encontrei na biblioteca do SESC de Campinas três títulos que trazem foco para a questão, e foi um atrás do outro. Complementares, maravilhosos, cada um deu ao outro o reforço e entendimento profundo sobre essa profusão de sentimentos e informações que tem me tomado de assalto.

1-img_7821

Feminino & Masculino – uma nova consciência para o encontro das diferenças (esgotado, tente na estante virtual ou na biblioteca da sua cidade – em Campinas tem na Biblioteca do Sesc)
Rose Marie Muraro e Leonardo Boff
Excelente! Esclarecedor e tocante. Boff e Muraro são referencias e trazem cada um informações, visões e mensagens para gente repensar profundamente questões que nos tocam a todos. 
“Por que homens e mulheres são tão diferentes? A resposta para esta questão representa a chave para a melhoria das condições da vida na Terra. Neste livro, Muraro e Boff fazem uma análise dos gêneros em uma abordagem multifacetada, que envolve conceitos históricos, sociais, psicanalíticos e espirituais. Os autores sugerem o equilíbrio dos gêneros para uma nova forma de entendimento e postura no mundo.”

2-img_7830

4-img_7828



3-img_7824A Tenda Vermelha
(esgotado, tente na estante virtual ou na biblioteca da sua cidade – em Campinas tem na Biblioteca do Sesc)
Anita Diamant
Quando as famílias e pequenas comunidades humanas vivam em tendas, armadas onde fosse possível sobreviver às dificuldades de um mundo hostil e desarmadas quando os ventos sopravam contra, era sob a tenda vermelha que as mulheres se reuniam para juntas celebrar, dividir momentos, cuidar uma das outras, compartilhar informações, conquistas e pensar juntas o seu sagrado. Questões femininas profundas que somente pertenciam àquele grupo de mulheres eram vivenciadas com toda a força da vida e da morte ali. Os segredos do feminino eram passados e compartilhados gerações após gerações, entre avós, filhas e netas. Daquele universo, homens pouco entendiam, pois como homens, não eram instrumentalizados para isso. Eles respeitavam o espaço e as mulheres se fortificavam com nessa união. Dentre várias coisas, esse livro nos traz um entendimento profundo disso.
Vc vai encontrar uma adaptação do livro transformado em série no NetFlix, mas não vale a pena assistir sem ter lido o livro antes. Muita mudança na história para romancear e deixar mais leve a trama. Fora a incapacidade de abordar com profundidade as caraterísticas e complexidades de cada personagem, que são muito maiores que 3h de projeção são capazes de mostrar.

“Na Bíblia, as mulheres ocupam um lugar à sombra, por isso ficamos privados de sua sensibilidade na descrição dos acontecimentos. Numa narrativa envolvente, Anita Diamant resgata esse olhar feminino e dá vida às personagens bíblicas, recriando o ambiente em que viveram, seu cotidiano, suas provações e suas paixões.
Filha de Jacó e Lia, Dinah – cuja trajetória é apenas sugerida no Livro do Gênese – é a figura central desta trama, que começa com a história das quatro esposas de Jacó, a quem ela chama de “mães”: Lia, Raquel, Zilpah e Bilah. O amor delas e o legado que lhe transmitem servem de apoio durante a fase de trabalho duro da juventude, no ofício de parteira e na vida nova em uma terra estrangeira.
À medida que cresce, Dinah observa tudo o que se passa no deserto: as conquistas, a rivalidade entre os irmãos, a sensualidade intuída, a aspereza do relacionamento entre os homens, a complexidade dos sentimentos das mulheres, a construção de um povo descrita a partir da saga de um núcleo familiar. De espectadora, ela passa a protagonista, e são seus amores, medos, descobertas e perdas que vão sendo narrados no cenário mais amplo de um mundo bíblico de caravanas, pastores, agricultores, príncipes, escravos e artesãos.”


2-img_7822Todos os Nomes da Deusa (esgotado, tente na estante virtual ou na biblioteca da sua cidade – em Campinas tem na Biblioteca do Sesc)
Joseph Campbell
Para mim, os Capítulos 1 e 2  trazem informações históricas relevantes e importantes sobre o papel feminino na construção da sociedades humanas dos primórdios. A partir do capitulo 3 a leitura fica difícil e muito técnica, abordando questões menos palatáveis. Li até o fim, mas é nos capítulos iniciais que se apresenta o panorama histórico e entendimentos.
“A Bíblia judaico-crista nos remete a um Pai Criador masculino, fonte de toda a vida. Porém muitas das primitivas histórias conhecidas da Criação falam sobre uma Grande Mãe: uma doadora e nutridora feminina da vida, a Deusa dos animais, das plantas, das águas, da terra e do céu. Em ‘Todos os nomes da Deusa’ , última obra de Joseph Campbell, são analisados os temas vigorosos, as raízes profundas e as inspirações mais intensas da humanidade. E, acima de tudo, ressalta o conceito fundamental que confirma a visão definitiva de Goethe: o Eterno Feminino nos impulsiona.”


Coisas sobre mulheres, que interessa a mulheres, que nos fazem mais fortes (a mim fizeram)

Ao mundo, acredito que seja preciso cada vez mais informar, discutir, compartilhar, exercitar mútuo apoio sobre assuntos diversos ligados ao universo feminino. Questões que englobam toda a extensa natureza de ser mulher. É preciso sairmos das nossas conchas e nos abrirmos para discussões amplas e livres de preconceitos e pré-conceitos. Há muito a ganhar nisso. Num mundo onde tantas mudanças ocorreram em tão rápido espaço de tempo, em transformação, em ebulição, com tantas novas informações surgindo a cada dia, é preciso união. A realidade enfrentada pelas mulheres é ainda muitas vezes absurda e vergonhosa. Pelo menos no ocidente, no grau de “civilidade” que nos encontramos, são inaceitáveis.

Seguem outras referências selecionadas que leio e vejo por aí sobre feminismo, maternidade, consumo, alimentação, educação, leitura. De cada fonte, comprometida com suas linhas de pensamento, extraio colaborações válidas. Dificilmente concordo integralmente com o que escuto e leio aqui e acolá. Muitas vezes discordo de posturas assumidas em várias abordagens, defesas e questões, mas respeitosamente as entendo e procuro não condenar se não me couberem. Não deixo de ir buscar boas informações com tal fonte porque não sou adepta de sua postura política, religiosa ou considere radical demais tal ponto de vista defendido. Paixões são boas. São as pessoas apaixonadas que movem o mundo. Acredito que tudo tem seus lados extremos e entre eles um caminho contendo milhões de escolhas e nuances. Eu sou daquelas que gosta de ficar ali pelo caminho do meio. Entre extremos e moderados, encontro informação que muito me valem nesses canais e através dessas pessoas. Travo meus diálogos internos e aprendo muito com o que eles trazem que me cabe. Mesmo jamais sendo possível acampar integralmente o que outro traz, pois cada um tem em si um universo próprio de referências, conhecimentos e crenças, sempre há colaborações muito válidas a serem agregadas ao nosso mundo.

Abaixo algumas das referências hoje onde encontro parte do repertório para nutrir minhas ideias, ideais e posturas. Conheça se quiser e qdo puder:

Dr. José Martins Filho
https://www.facebook.com/PediatraJoseMartinsFilho/about/?entry_point=page_nav_about_item&tab=page_info
Um Pediatra fantástico!!! Autor dos livros, entre outros – “Como e porque amamentar” que há mais de trinta anos tem servido de orientação a muitas famílias e colegas profissionais da área da saúde;
– “A criança terceirizada. As relações familiares no mundo contemporâneo”;
– “O nascimento e a família. Alegrias, surpresas e preocupações”.
(Esses livros ainda não li)

As seguintes FanPages

https://www.facebook.com/pediatriaintegral/
https://www.facebook.com/ElesPorElasHeforShe/
https://www.facebook.com/NaoKahlo/?fref=ts
https://www.facebook.com/institutoalana/
https://www.facebook.com/mariafarinhafilmes/
https://www.facebook.com/radardapi/
https://www.facebook.com/jafalouparaseumenino/?fref=ts
https://www.facebook.com/InfanciaLivredeConsumismo/
https://www.facebook.com/mapainfanciabrasileira/
https://www.facebook.com/cientistaqueviroumae/?fref=ts
https://www.facebook.com/mamatraca/
https://www.facebook.com/ginecosincera/
https://www.facebook.com/amamentareh/?fref=ts
https://www.facebook.com/gvcampinas/?fref=ts
https://www.facebook.com/prazerjoutjout/
https://www.facebook.com/maesdepeito/
https://www.facebook.com/capitulendo/
https://www.facebook.com/leituraemredelivros/?fref=ts
https://www.facebook.com/criancaquele/
https://www.facebook.com/leituraemredelivros/?fref=ts
https://www.facebook.com/tempojunto/
https://www.facebook.com/maezissima/
https://www.facebook.com/orenascimentodoparto/
https://www.facebook.com/pedagogia.subjetividade/
https://www.facebook.com/todayparents/
https://www.facebook.com/nytimes/
https://www.facebook.com/artemisong/
https://www.facebook.com/empodereduasmulheres/?hc_ref=NEWSFEED

Mais Livros:
O poder do discurso materno e A Maternidade e o Encontro com a Própria Sombra, ambos de Laura Gutman.

Filmes/ Documentários
Muito Além do Peso
O Renascimento do Parto
O Começo da Vida – encontre na NetFlix
Mulheres na mídia – http://www.dailymotion.com/video/x21rp15_gnt-doc-mulheres-na-midia_shortfilms

The Human Experiment – encontre na NetFlix
The Mask You Live In – encontre na NetFlix

Espero que tenha valido o seu tempo e a sua leitura até aqui. Se quiser deixar uma colaboração de indicação nos comentários, são super bem-vindos! Até a próxima atualização!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s