Coisas Só da Mãe – por que nossos humores e rumores internos oscilam tanto?

Na segunda-feira. Em um mesmo dia, em lugares diferentes escrevi coisas que atestam o quanto essa história de ser mãe cuja cabeça não pára um minuto podem resultar em incoerentes discursos… Vou deixar registrado aqui para depois não ser acusada de maluca, ou seja, mais um mea culpa na sequência ao post feito no domingo.

Vamos lá. Primeiro, pela manhã, comentando um post de uma outra mamãe blogueira que questionava sobre a escolha de ser mãe em tempo integral e suas implicações:

“Olá Sara,
Qdo eu era criança, meu olhar para minha mãe era como o seu: “Eu não quero ser como vc, mamãe, vc não é independente, não trabalha!” Nossa, como eu a desvalorizei… E que erro enorme!
Trabalhei como louca, fiz um monte de coisas ao mesmo tempo e só tive minha filha aos 35 depois de 10 anos de casada. Por um acaso da vida, meu marido foi transferido de cidade qdo nossa pequena tinha 4 meses e eu não voltei pro mercado de trabalho depois da licença maternidade.
Só então entendi minha mãe. Demorei todos esses anos para fazer conta do o que significou o fato de tê-la integralmente no papel de mãe em minha vida e agradecê-la com todas as palavras por tudo. Por isso, fica forte sua observação: não esperemos reconhecimento dos outros, e muitas vezes, por um bom tempo, nem por parte dos próprios filhos. Somente nós sabemos o que se passa em nossas vidas e o porque de nossas escolhas. E quem sabe lá pra frente, qdo os nossos passarem a ter os deles, eles entendam.
Bjs, adorei o post!”

Quatro horas depois, na minha timeline do Facebook:

“Recaída momentânea para postar e apagar depois: ai gente, cansei! Não aguento mais blogs de mãe, produtos de mãe, papos de mãe, picuinhas de mãe, dilemas de mãe, fotos de bebês, lojas de brinquedo…
Quero clicar minhas fotos de coisas diversas do mundo, voltar às minhas idas às exposições de arte, fotografia e outras coisas mais, participar de palestras sobre arte, ideias, educação e vida, sair da frente desse Facebook e do gerenciador de visitas do site, ahhhhhhhhhhhhhh!!!
O post fica aqui até bater o arrependimento, rsrsrs. Bjs.”

Seguidos de vários “Gostei” e comentários felizes como esses, um da Silvia, mãe de 2, e outro da minha sobrinha querida Camila, mãe de 3, que quero registrar aqui também, para eu não esquecer:

Silvia Bianchi Machado “Bem vinda de volta às multiplicidades da vida, Ju!”

Camila Mastrodi – “Tia Ju, as facetas da vida de mãe, é apenas umas das diversas, inumeras, incontaveis de nossa vida repleta de interesses, amores, desejos, fontes de satisfação, etc! Uma mãe que se enriquece com tudo isso que vc tb ama, será uma mãe mais completa, repleta, dedicada, FELIZ e imensamente mais satisfeita, filho enche nosso coração de amor, mas tb esvazia…é tudo para eles e o amor que nos dão é para que eles tenham mais amor para eles…e por isso é importante conhecermos e termos outros amores para dar e receber… Posso te garantir isso! Experiencia propria! Aproveite esse momento e não se arrependa de querer ser uma mãe melhor! Cheia de novas historias que trouxe do mundo para enriquecer o universo da JUJU! Amo vc! Beijos desta sobrinha enxirida, ah! Semana passada achei uma foto nossa no cavalo, lá em Ituituba, eu na frente e vc na garupa, eu com 4 ou 5 aninhos e vc com 3ou 4 aninhos, a coisa mais linda! Beijos.”

Obrigada, mulheres! E a vida segue. E eu realmente ando com a cabeça muito confusa. E eu queria ter algumas coisas da vida resolvidas mais rapidamente, mais facilmente. Tá simples não, gente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s